X

Artigo

A + A -

Pós-graduação: 5 dicas para um bom projeto de pesquisa

10/03/2020 - Fonte: ESA OAB SP

.

 

A maior parte dos cursos de mestrado ou doutorado exige, como parte do processo seletivo, a apresentação de um projeto de pesquisa ao (possível) futuro orientador. Em muitos casos o candidato à vaga apresenta um bom desempenho nas outras fases da seleção, como na prova escrita, mas acaba não sendo selecionado por conta do projeto apresentado.

A seguir estão reunidas algumas dicas pensadas com o objetivo de facilitar a elaboração de projetos de pesquisa em todas as áreas do conhecimento, aumentando as chances de conseguir uma vaga na pós-graduação.

 

1) Veja referências

Existem muitos manuais de metodologia de pesquisa disponíveis, alguns deles que, inclusive, podem ser encontrados gratuitamente na internet. Importante saber que a metodologia ou método de pesquisa irá variar conforme a sua área de estudos; assim, se o curso pretendido é de humanas, exatas ou biológicas, tente encontrar um manual específico.

Ainda, cada instituição de ensino e cada orientador possuem critérios distintos para a avaliação do projeto. Pesquise a respeito na internet, participe de grupos e fóruns de discussões, e, se possível, peça a alguém que já ingressou no curso para lhe enviar o projeto apresentado na seleção. Você poderá utilizar como referência daquilo que é essencial e que deverá constar também no seu projeto, de acordo com os critérios do curso pretendido.

 

2) Conheça e pesquise o tema

Leia e pesquise muito. Muito mesmo. Quanto melhor você conhecer o tema sobre o qual pretende pesquisar, mais fácil será encontrar uma questão central para direcionar o seu estudo, e também seu projeto de pesquisa. Ainda, quanto maior o número de referências que você tiver pesquisado antes de começar a escrever, mais rápida será a elaboração do projeto.

Existem várias maneiras de fazer essa pesquisa prévia. Muitos estudantes gostam de elaborar “fichas de leitura”, com resumos ou tópicos relevantes de cada obra ou artigo lidos. No entanto, se você fizer isso desde o início correrá o risco de gastar muito tempo resumindo textos que não irá utilizar.

A dica aqui é fazer uma leitura geral sobre o tema, identificando quais as questões centrais que poderão ser trabalhadas na sua pesquisa, e quais os pontos sobre os quais há mais ou menos referências bibliográficas.

Assim você será capaz de fazer uma primeira “triagem” do conteúdo, e depois poderá continuar a pesquisa como preferir – seja com a elaboração de “fichas de leitura”, resumos, post-its, tabelas, ou qualquer outra forma que te ajude a organizar o conteúdo disponível e o seu conhecimento sobre o tema.

 

3) Forma: crie um “esqueleto” para o projeto

Muito embora cada instituição de ensino tenha um padrão obrigatório ou mais comumente utilizado, existem alguns tópicos que deverão obrigatoriamente ser tratados no seu projeto.

Assim, irei dar um exemplo de “esqueleto” que pode ser utilizado como referência para projetos de pesquisa de forma geral.

(i) Capa: não se esqueça de colocar todas as informações essenciais, como a indicação de que se trata de um projeto de pesquisa, a área e subárea e estudo, nomes do aluno, do orientador e da instituição de ensino, e data de apresentação. Se houver algum modelo disponível, fique atento à formatação padrão. Se não houver, verifique se todas as informações necessárias constam na capa.

(ii) Sumário: é o sumário do projeto – e não da pesquisa em si. O sumário da pesquisa deverá conter, de forma geral, os seguintes itens:

(a) Introdução: nesta parte você irá apresentar qual é foi o tema escolhido, e fazer uma introdução à questão principal que será discutida na pesquisa. É interessante inserir citações e referências da bibliografia pesquisada previamente, indicando que outras pessoas se dedicam ao estudo do tema, e demonstrando sua importância.

(b) Justificativa para a escolha do tema: aqui será importante destacar qual a relevância do tema a ser estudado, bem como quais são as suas limitações. Mais uma vez, a pesquisa prévia irá facilitar (e muito) a redação deste tópico.

(c) Objetivos: tente elaborar uma questão central para nortear a sua pesquisa. A denominada vexata questio é uma pergunta que resume a problemática discutida.

(d) Principais questões objeto de análise: nos subtópicos você poderá apresentar o texto desenvolvido até aquele momento. Isto é importante para que o orientador pretendido possa avaliar seus conhecimentos na área, bem como habilidades de escrita e relação com a linha de pesquisa dele. A quantidade de páginas irá variar muito conforme o curso, orientador, e tempo disponível. No entanto, sugiro apresentar o máximo de conteúdo (não páginas!) possível.

(iii) Metodologia utilizada: se você utilizou algum manual de metodologia de pesquisa como base, indique qual foi neste tópico. Ainda, faça uma breve apresentação da metodologia que será utilizada ao desenvolver a pesquisa. Se for o caso de realizar pesquisa de campo, por exemplo, isto deverá ser indicado e justificado. Mesmo se a pesquisa for em alguma área de humanas, como direito, é preciso indicar se será utilizado o método comparístico, o método histórico, o método dialético ou outros.

(iv) Sumário provisório: agora sim você deverá elaborar o sumário da sua tese ou dissertação. Trata-se de um sumário provisório, que provavelmente sofrerá diversas alterações durante a pesquisa – mas cuja apresentação é fundamental para que o orientador possa compreender qual o objetivo do estudo proposto, e a forma como deverá ser desenvolvido.

(v) Cronograma da pesquisa: utilizando como base a duração máxima do curso, você deverá designar períodos para cada atividade a ser desenvolvida. O cronograma poderá ser em forma de texto, tópicos ou mesmo tabela – o que importa é deixar claro o planejamento feito. Pensando por exemplo em um curso de mestrado de 3 anos de duração, seria possível apresentar o seguinte cronograma junto ao projeto de pesquisa:

(a) 1º semestre: espólio bibliográfico, leitura e análise das obras principais sobre o tema, com seleção das paráfrases, críticas e eventuais dúvidas; realização de disciplinas e computação de créditos.

(b) 2º semestre: aprofundamento do espólio bibliográfico, com leitura de bibliografia complementar, e apresentação ao orientador do esboço dos capítulos escritos para posterior submissão à banca de qualificação.

(c) 3º semestre: conclusão dos créditos das disciplinas obrigatórias; correção, aprofundamento e aperfeiçoamento do texto, com ampliação da pesquisa bibliográfica e da sua leitura; depósito da pesquisa desenvolvida, e avaliação pela banca de qualificação.

(d) 4º semestre: realização das correções, adaptações e complementos solicitados pela banca de qualificação.

(e) 5º semestre: redação da versão final da dissertação, com últimas correções, preparação de índices e impressão.

(f) 6º semestre: entrega da versão final da dissertação e submissão à Banca Examinadora do Programa de Pós-Graduação (banca final).

(vi) Referências e bibliografia preliminar: aqui você deverá indicar não apenas as obras já consultadas e utilizadas ao longo da elaboração do projeto, mas também obras e artigos relevantes à pesquisa, que serão consultados e inseridos no texto posteriormente. Uma lista completa de referências será útil para que o orientador possa avaliar os conhecimentos do candidato, os objetivos e direcionamento da pesquisa que será desenvolvida, e, ainda, fazer sugestões de obras e autores complementares.

 

4) Seja objetivo

Como disse acima, é importante que o seu projeto tenha o máximo de conteúdo possível – o que não significa, necessariamente, um grande número de páginas. Ser capaz de tratar o assunto de forma objetiva e clara faz parte das habilidades que serão avaliadas no seu projeto. Portanto, cuidado com frases longas demais, parágrafos desnecessários e afirmações sem justificativa.

O desafio é conseguir transmitir, de forma clara, quais são os objetivos e qual a importância da pesquisa proposta. Porém, quanto maior o conhecimento que você demonstrar sobre o assunto, maiores as chances de gerar interesse do (promitente) orientador. Uma possível solução é utilizar ao máximo o recurso das referências e notas de rodapé: assim você consegue desenvolver um texto fluido e objetivo, enquanto, ao mesmo tempo, justifica e fundamenta as afirmações feitas com base na sua pesquisa preliminar.

 

5) Peça para alguém revisar seu texto

Se puder contar com a ajuda de algum colega da mesma área para ler e fazer comentários ao seu projeto de pesquisa, ótimo! De todo modo, vale a pena pedir a outra pessoa para ler o projeto, e, se possível, fazer uma revisão de erros de digitação ou ortografia que podem passar despercebidos para quem escreveu e releu o texto diversas vezes.

 

Espero que as dicas acima ajudem muitas pessoas a ingressarem no ensino superior. A maior parte delas também vale para quem está na graduação e precisa apresentar um projeto de TCC. Compartilhe o texto e ajude a levar informação a quem precisa!

 

 

Por Amanda Cunha e Mello Smith Martins

Bacharel e Mestranda em Direito pela Universidade de São Paulo (FDUSP). Advogada inscrita na OAB/SP, sócia do escritório Smith Martins Advocacia, com atuação especialmente em contencioso cível.

Lgo Pólvora, 141 - Liberdade - SP  -  (11) 3346-6800  -   faleconosco@esa.oabsp.org.br


Praça da Sé, 385 - 6º, 7º, e 8º andar - (11) 3291.8100

Copyright © 2017 - OAB ESA. Todos os direitos reservados | By HKL